BANNER DO CURSO

Suporte Avançado de Vida em Pediatria

Em situações onde a deterioração não é vista e consequentemente não tratada de forma imediata, poderá evoluir para uma PCR. Nestes casos os esforços de reverter a PCR, mesmo com as manobras ideais, resultará em uma resposta geralmente ruim. No ambiente intra hospitalar, quando falham estas avaliações e a pronta resposta, gerando o quadro de PCR, apenas 43% das crianças sobrevivem à alta hospitalar. Sabendo da melhora na sobrevida em torno de 64% ao prevenirmos a PCR, devemos focar na prevenção da mesma. Isso se dará por meio de uma adequada avaliação antecipada, bem como um tratamento imediato à bradicardia e perfusão deficiente.

Público-alvo: Médicos e enfermeiros de Unidades de Terapia Intensiva Pediátrica.